TOP 10: Raças menos inteligentes

TOP 10: Raças menos inteligentes

TOP 10: Raças menos inteligentes – Olá! Eu me chamo Sabrina Mares e vou te falar das 10 raças de cães menos inteligentes que existe, apesar de que eu também não sou muito inteligente porque sempre carrego meu cachorrinho no carro comigo e já tive até a cnh suspensa por conta disso, se vai carregar seu cachorro no carro, amarra ele.

Mas vamos ao assunto.

Eles são companheiros, brincalhões, mas definitivamente a habilidade cognitiva não é seu forte.

Conheça aqui o ranking com as 10 raças menos inteligentes entre os cães.

10 – Basset Hound

Basset Hound - TOP 10: Raças menos inteligentes

A décima posição dos cães intelectualmente menos privilegiados é ocupada pelo fofo Basset Hound.

Os olhos de cão abandonado e as orelhas baixas já garantem a paixão por ele. Afetivo, o Basset Hound é uma ótima companhia para crianças e pode viver tranquilamente em apartamentos.

9 – Mastim Napolitano

Mastim Napolitano
Mastim Napolitano

Um gigante italiano.

Assim é o Mastim Napolitano.

O nono colocado, é indiscutivelmente de grande porte, podendo alcançar mais de 70 quilos na fase adulta.

De andar lento, o Mastim é um cão pra ser admirado e muito bem cuidado.

Utilizado como guardião, o Mastim é hoje utilizado para concursos.

E para tanto a alimentação selecionada e rica em cálcio é indispensável para garantir a saúde.

8 – Beagle

Beagle
Beagle

De pequeno e médio porte, a 8ª posição é ocupada pelo Beagle. Desenvolvida para caça de lebres, coelhos e raposas, a raça é considerada muito ativa e já integrou a matilha da Rainha Elisabeth I, numa seleção que ficou conhecida como pocket beagles.

De pelagem curta e fácil de cuidar, o Beagle pode alcançar os 40 cm e 15 kg.

Com tanta energia, o Beagle não é recomendado para parceria com crianças menores de 5 anos. TOP 10: Raças menos inteligentes

7 – Pequinês

Pequinês
Pequinês

TOP 10: Raças menos inteligentes – Uma das mais antigas raças do mundo, a história do Pequinês é datada do século XII na China.

Preferido da monarquia da época, a sétima posição é conhecida pelos olhos grandes e cristalinos.

Com até 6 kg, o Pequinês é considerado um cão amigo, sendo uma ótima companhia para crianças.

Chegou ao Brasil na década de 1960, atraindo a atenção comercial e proliferação de cruzamentos desqualificados.

Restrito a clube de criadores, é muito dificil encontrar o Pequinês e a sua beleza característica.

6 – Bloodhound

Bloodhound
Bloodhound

TOP 10: Raças menos inteligentes- Conhecido como cão de Santo Humberto, a nossa  sexta posição é um autêntico farejador.

Cão de sangue, em tradução livre, o BloodHound ficou conhecido por sua habilidade de localizar animais feridos na Europa.

Desaconselhada para guarda, a raça de grande porte é tida como carinhosa e equilibrada.

Os cuidados ficam por conta da prevenção de otites e problemas gástricos.

Tudo para garantir os momentos de alegria ao lado desse grande amigo.

5 – Borzoi

Borzoi
Borzoi

Exótico. Nada define melhor nossa quinta posição.

Borzoi é uma raça de origem Russa que foi sendo aperfeiçoada para a caça de lobos.

Nos Estados Unidos, o contraste entre sua cabeça encurtada e corpo alongado rendeu o status de cão glamouroso.

Reservado, o Borzoi demonstra seu carinho de forma mais contida. Bastante ativo, os animal dessa raça precisa de espaço para desenvolver e manter a musculatura.

4 – Chow Chow

Chow Chow
Chow Chow

Originário da Mongólia, o quarto lugar é dono de um pelo denso, cabeça larga e orelhas pequenas.

Uma combinação que garante ao Chow Chow uma uma enorme juba.

A grande curiosidade nesta figura é, sem dúvida, a sua língua preto-azulada.

Mantido como cão de companhia, o Chow Chow não é muito adepto da parceria com outros cães.

Para garantir a sociabilização da raça é preciso habitua-lo desde cedo. Em casa, ele é conhecido pela lealdade e discrição.

Quase sem latir, o Chow Chow é uma ótima indicação para apartamentos.

3 – Bulldog

Bulldog
Bulldog

De aparência marrenta, o terceiro lugar tem um nome bem sugestivo.

Bulldog, ou cão touro em tradução livre, foi largamente utilizado para embates violentos com os touros na Europa do século XII.

No trato doméstico, a ferocidade do Bullgod foi substuída pela tranquilidade e obdiência e defesa ao dono.

Muito higiênica e de raro latido, o Bulldog é uma ótima companhia, inclusive para apartamentos.

2 – Basenji

Basenji
Basenji

O vice colocado no top 10 vem da África. Basenji é uma raça com mais de 4 mil anos de história.

De pelagem curta e pernas longas, o Basenji descende dos cães saídos do Zaire em 1830.

De constituição leve e aparência aristocrática, o Basenji é a única raça que não late.

Um tanto teimoso, o Basenji não é lá muito fácil de treinar, mas mantém o carinho e um senso protetor.

1 – Afghan Hound

Afghan Hound
Afghan Hound

E a medalha de ouro vai para… Afghan Hound.

Originária do Egito antes mesmo de Cristo, a raça pouco mudou ao longo do tempo.

A aparência é mesmo a mais peculiar.

Pelagem compacta, sedosa, topete charmoso e um ar oriental coloca o Afghan Hound como uma das raças mais concorridas em concursos de beleza.

Em casa, o animal mantém um temperamento reservado, mas muito apegado ao dono.

Um passeio ou descanso no sofá estará garantido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *